DOBERMANNS

PADRÕES / STANDARD 

"How to judge the Doberman Pinscher."- Como Julgar o Dobermann - Vídeo

March 31, 2016

CLIQUE NA IMAGEM ACIMA - PARA VER O VÍDEO 

 

The judges education committee invited our top 20 dogs and past breed winners to participate in a educational video "How to judge the Doberman Pinscher." Watch this before you judge our breed.

PADRÃO - FCI - GRUPO 02 - DOBERMANN PINSCHER

April 05, 2016

Padrão FCI n.º 143d, de 14/02/1994

Foto- Urbano del Diamante Nero - Fonte: Site Diamante Nero

 

 

Grupo 2 - Pinscher e Schnauzer, Molossos e Boiadeiros Suiços

 

Origem : Alemanha

 

Função Zootécnica : Cão de trabalho, companhia e proteção

PADRÃO DA RAÇA

Padrão FCI n.º 143d, de 14/2/94

Padrão CBKC n.º 143, de 2/8/94

1-Trufa                   13-Perna           25-Braço

2-Focinho              14-Jarrete         26-Ponta do esterno

3-Stop                     15-Metatarso

4-Crânio                  16-Patas           27-Ponta do ombro

5-Occipital              17-Joelho

6-Cernelha              18-Linha Inferior

7-Dorso                    19-Cotovelo

8-Lombo                  20-Linha do Solo

9-Garupa                  21-Metacarpo

10-Raiz da Cauda   22-Carpo

11-Ísquio                  23-Antebraço

12-Coxa                     24-Nível do esterno cernelha

 

Aparência Geral: De tamanho médio, forte e musculoso. As linhas elegantes de seu corpo, a atitude altiva, a natureza temperamental e a expressão de um cão decidido, correspondem a imagem do cão ideal.

 

Proporções Importantes : A forma de seu corpo é bem mais quadrada sobretudo nos machos. O comprimento do tronco (medido desde a articulação do ombro até as protuberâncias ilíacas) em relação à altura na cernelha, não deve ultrapassar 5% nos machos e 10% nas fêmeas.

 

Comportamento e Temperamento (Caráter) : Essencialmente amistoso e pacífico. Muito dependente da família e carinhoso com as crianças. Procura-se uma braveza e um temperamento medianos, além de um limiar de excitação médio. Devido sua docilidade e alegria para o trabalho o Dobermann se caracteriza por sua coragem, resistência e capacidade. Com uma apropriada atenção ao que está a sua volta, pode-se mais apreciá-lo principalmente por ser muito seguro de si mesmo e nada assustadiço.

 

 

Cabeça :  Região do Crânio : Forte, apropriada a sua aparência geral; vista desde cima, apresenta-se como uma cunha aguda; a linha transversal do topo do crânio, vista de frente, deve ser quase horizontal, ou seja, não deve cair sobre as orelhas. A linha entre os parietais, que começa desde a cana nasal, cai sobre a nuca com um leve arredondamento. As arcadas superciliares são bem desenvolvida porém sem serem proeminentes. O sulco frontal é visível. O osso occipital não deve ser muito visível. Vistos desde cima e de frente as laterais da cabeça não devem ser muito arqueadas. O leve arredondamento lateral do maxilar e do arco zigomático deve estar em harmonia com o comprimento total da cabeça. Os músculos da cabeça são fortemente desenvolvidos.

 

Stop : A depressão frontonasal é leve, porém deve ser perceptível.

 

Região da face : Nariz : Bem desenvolvido, mais largo que redondo, com grandes narinas, porém sem sobressair. Em cães negros deve ser de cor negra, em cães de cor marrom deve ser de uma cor mais clara.

 

Focinho : Deve estar em correta proporção com o crânio, bem desenvolvido, profundo. A abertura bucal deve chegar quase até os molares. Também deve ser suficientemente largo na área dos incisivos superiores e inferiores.

Lábios : Devem ser bem estreitos e aderentes à maxila e mostrar um rígido fechamento nas bordas. De pigmentação escura; nos cães marrons pode ser um pouco mais clara.

 

Maxila, Dentição : O maxilar e a mandíbula são fortes e largos. Mordedura em tesoura, com 42 dentes (de acordo com a fórmula dentária), de tamanho normal.

 

Olhos : De tamanho médio e ovalados, cor escura; permite-se uma tonalidade um pouco mais clara nos cães de cor marrom. Pálpebras bem aderentes. As bordas possuem cílios.

 

Orelhas : De implantação alta, portadas eretas e cortadas num comprimento proporcional à cabeça. Nos países onde se proíbem as amputações estéticas, a orelha inteira tem o mesmo valor (deseja-se que tenham tamanho médio com a face anterior da orelha bem encostada nas bochechas.

 

Pescoço : Em proporção com a cabeça e o corpo, tem um bom comprimento. Compacto e musculoso. Seu perfil é ascendente e elegantemente curvo, de porte erguido, mostrando galhardia.

 

Corpo : Cernelha : Deve ser visível na altura e comprimento, principalmente nos machos, de maneira que a linha superior mostre uma trajetória ascendente desde a garupa.

 

Dorso : Curto, sólido, largo e bem musculoso.

 

Lombo : A região lombar deve ser larga e bem musculosa. As fêmeas podem ter a região lombar um pouco mais longa, já que necessitam desse espaço durante a gestação.

 

Garupa : Forma um pequeno declive desde o osso sacral até a implantação da cauda, não muito visível, dando uma impressão arredondada, nem reta nem caída. Bem larga, com uma forte musculatura.

 

Peito : O comprimento e profundidade do peito deve ser proporcional ao comprimento do tronco, de maneira que a profundidade do peito (com costelas ligeiramente arqueadas) se aproxima da metade da altura medida na cernelha. O peito tem boa largura e é bem visível na parte da frente (antepeito).

 

Linha Inferior : Desde o final do esterno até a pélvis, o abdome se apresenta nitidamente recolhido.

 

Cauda : De implantação alta, e amputada curta, ficando duas vértebras visíveis. Em países onde amputações estéticas estão proibidas, pode-se apresentar cães com a cauda de comprimento normal.

 

EXTREMIDADES:

 

MEMBROS ANTERIORES: Em geral, vistos de qualquer lado, devem manter-se retos, perpendiculares ao solo, e de estrutura forte.

 

Ombros: A escápula é bem aderente às costelas, de ambos lados bem musculosa, e ultrapassando as apófises espinhais das vértebras dorsais. Preferencialmente bem inclinada e para trás, formando um ângulo de 50 graus com uma linha horizontal.

 

Braço: Bom comprimento, com uma boa musculatura, formando um ângulo com a escápula de 105 a 110 graus.

 

Cotovelos: Bem encostados ao corpo, sem se observar torções para fora.

 

Antebraço: Forte e reto, de boa musculatura. O comprimento deve estar em harmonia com todo o corpo.

 

Articulação do Metacarpo: Forte.

 

Metacarpo: De ossos fortes; visto de frente, retos: de lado, com uma pequena inclinação (máxima 10 graus).

 

Pés dianteiros: Curtos e fechados. Os dedos são arqueados e para cima (pés de gatos), unhas curtas e negras.

 

MEMBROS POSTERIORES: Em geral, vistos de trás e devido a boa musculatura da pélvis e da garupa, largos e arredondados. Os músculos que correm desde a pélvis até as coxas e pernas dão como resultado que a área das coxas, joelhos e pernas seja bem larga.

 

Coxas: Bem largas e compridas, com forte musculatura. Boa angulação na articulação do coxal. O ângulo em relação a uma linha horizontal deve ser de 80 a 85 graus.

 

Joelhos: A articulação é forte, formada pela coxa, perna e patela. A angulação deve ser de 130 graus.

 

Perna: De comprimento médio, em harmonia com toda a extremidade.

 

Jarretes: Medianamente fortes, paralelos. Aqui se unem os ossos da perna com os do metatarso formando um ângulo de 140 graus.

 

Tarso: Curto e perpendicular ao solo.

 

Pés traseiros: Assim como nos dianteiros, os dedos são curtos, arqueados e fechados, unhas curtos e negros.

 

Movimento: Tem uma especial importância tanto para sua capacidade de trabalho como para sua aparência. O movimento é elástico, elegante, ágil, livre e espaçoso. Os membros anteriores avançam o mais possível para frente. Os membros posteriores dão o empuxo forte e necessário, atingindo uma boa distância. O membro anterior de um lado, e o posterior de outro lado se dirigem para frente ao mesmo tempo. Boa firmeza de dorso e articulações.

 

PELE: Em todo o corpo a pele está bem pigmentada e estendida.

 

PELAGEM: Característica do pêlo: Deve ser curto, duro e denso, bem unido e liso, uniformemente distribuído sobre toda a superfície do corpo. Não se permite sub-pêlo interno.

 

COR: Negra ou marrom escuro com marcas limpas, bem delimitadas de cor vermelho-ferrugem. Estas marcas se encontram no focinho, bochechas, sobrancelhas, garganta, duas manchas no peito, nos metacarpos, metatarsos, pés, parte interna das coxas, região do períneo e protuberâncias ilíacas.

 

TAMANHO/PESO:

 

TAMANHO: Altura na cernelha: Machos 68 a 72 cm. Fêmeas 63 a 68 cm. Em ambos casos deseja-se uma medida intermediária.

 

PESO: Machos 40 a 45 kg. Fêmeas 32 a 35 kg.

 

FALTAS: Qualquer desvio dos critérios anteriormente mencionados deve ser considerado como uma falta e a sua gravidade é considerada em proporção ao grau do desvio do padrão.

 

Aparência geral: Ausência de caracteres sexuais. Pouca substância, excessivamente leve, excessivamente pesado, ossos fracos.
 

Cabeça: Excessivamente pesada, muito leve, muito pequena, muito comprida. Stop muito visível ou quase imperceptível. Nariz de carneiro. Linha parietal muito caída. Mandíbula fraca, olhos redondos ou rasgados; olhos claros, excessivamente profundos ou saltados, bochechas demasiadamente grandes, lábios pendentes. Orelhas de implantação excessivamente alta ou excessivamente baixa. Comissuras labiais abertas.

 

Pescoço: Moderadamente ou excessivamente curto, com excesso de pele ou papada. Pescoço de ovelha, excessivamente comprido (sem harmonia).

 

Corpo : Falta de firmeza no dorso, garupa caída, linha superior selada, linha superior convexa, muito ou muito pouco

arqueamento de costelas, profundidade ou largura de peito insuficientes. Linha superior demasiadamente comprida em sua totalidade, antepeito ausente, cauda de implantação muito alta ou muito baixa. Ventre pouco ou excessivamente recolhido.

 

Extremidades : Muito pouca ou excessiva angulação dos membros anteriores e posteriores, cotovelos soltos; discrepância na posição e comprimento de ossos e articulações. Ao ficar de pé, manter as patas muito juntas ou muito separadas; extremidades de vaca ou com forma de barril. Pés abertos e cedidos, dedos torcidos, unhas de cor clara.

 

Pelagem : Marcas muito claras, sem uma boa definição nem limpeza, máscara muito escura, manchas escuras e grandes nas extremidades. As marcas do peito quase imperceptíveis ou excessivamente grandes. Pêlo comprido, suave, sem brilho ou ondulado, assim como áreas alopécicas ou com pouco pêlo. Grandes redemoinhos no corpo, sub-pêlo visível.

 

Temperamento : Inseguro, excessivamente temperamental, excessiva braveza, agressividade, limite de excitação demasiadamente alto ou demasiadamente baixo.

 

Tamanho : Qualquer medida diferente do padrão até 2 cm é tolerável.

 

Movimento : Vacilante, com tropeços, marcha e trote sem liberdade.

 

Faltas desqualificantes : Em geral, inversão de caracteres sexuais (machos com caracteres femininos e vice-versa).

 

Olhos : Amarelos (olhos de ave de rapina), de cor diferente (anisocromia).

 

Dentição : Prognatismo, mordedura em torquês, enognatismo e fórmula dentária incompleta.

 

Pelagem : Manchas brancas, pêlo branco ou ondulado, muito fino ou grandes áreas alopécicas.

 

Carácter : Timidez, medo. Cães que sofrem dos nervos ou exageradamente agressivos.

 

Tamanho : Desqualificam-se cães que meçam mais ou menos de dois centímetros da medida do padrão.

 

N.B. : Os exemplares machos deverão ter dois testículos de aparência normal, completamente descidos no sacro escrotal.

INBREEDING

April 05, 2016

INBREEDING - ENDOGAMIA

 

Em termos gerais, a consanguinidade é onde o pai ea mãe têm ancestrais em comum. O nível de endogamia é simplesmente como intimamente relacionada estes familiares estão do outro lado as linhagens genéticas e barragens

 

O padrão de medida (matemática) para o nível de endogamia é a consanguinidade co-eficiente. Ela indica a probabilidade (entre 0% e 100%) que os genes a um local escolhido aleatoriamente no ADN são idênticos por descendência. A técnica assume que existem 2 formas de um gene e que cada formulário tem uma chance igual de ser passado para a próxima geração.

 

Uma limitação no cálculo dos coeficientes de endogamia é a profundidade de pedigrees disponíveis. Animais com um pedigree raso pode ter um coeficiente de endogamia baixa simplesmente porque os seus antepassados ​​relacionados não estão no banco de dados.

 

Compreender os números endogamia

 

Coeficiente de endogamia: é expressa como um valor percentual. Um coeficiente de endogamia baixo significa um baixo nível de endogamia (por exemplo, 3%, como no exemplo acima). Na maioria dos bovinos de corte da raça sociedades, a grande maioria dos animais têm um coeficiente de endogamia de menos de 10%, endogamia coeficientes de mais de 30% são incomuns, e mais de 40% são raros.

Gerações - adjacente ao coeficiente de endogamia, há dois números que indicam o mínimo número de gerações no pedigree do animal e, entre parênteses, a média número de gerações no pedigree do animal - como atualmente disponíveis no banco de dados. Pedigrees mais profundas irá resultar em um cálculo mais preciso do coeficiente de endogamia, especialmente quando o coeficiente de endogamia é pequena.

 

Os coeficientes de endogamia típicos

 

O coeficiente de endogamia será maior se os antepassados ​​na linhagem são também eles próprios puras

 

Tabela 1. coeficientes de endogamia para várias relações consanguíneas

 

Relação  x Coeficiente de endogamia (%)

 

* Animal acasalado ao seu próprio pai (por exemplo, Sire / filha) - 25%

acasalamentos de meios-irmãos (os pais têm um progenitor comum ou barragem) - 12,5%

acasalamentos de irmãos completos (os pais têm um progenitor comum e barragem) - 25%

Animal tem um único bisavô em comum - 3,1%

 

* Valor mínimo, será maior se antepassados ​​são eles próprios puros

 

Não surpreendentemente, as populações menores tendem a ter proporcionalmente mais animais com coeficientes de endogamia mais elevadas do que populações maiores - simplesmente porque há menos animais candidatos para escolher 

 

Discussão sobre a endogamia

 

Seleção em sistemas de criação de animais usa diversidade genética / variação para melhorar a população, selecionando animais superiores para características desejáveis. A variação mais genética observada em uma população, maior o potencial de ganho genético possível em cada geração. Por outro lado, diminuiu a variação genética aumenta as semelhanças entre a população. Endogamia reduz a quantidade de diversidade genética numa população.

 

Explicação de endogamia nas populações animais se baseia em alguns princípios genéticos básicos. A informação genética está armazenada em cromossomas . Os cromossomas são feitos deADN . Os genes são secções de ADN e ocorrem em pares. Um gene particular irá ocorrer num determinado local ( locus de , plural é loci ) no ADN de um cromossoma particular. As diferentes formas de um gene (geralmente duas) que pode ocorrer em que o locus são chamados alelos . Onde ambos os alelos são o mesmo no locus, eles são chamados homozigótica .Onde os alelos são diferentes, eles são chamados heterozigótica . Em geral, os dois alelos, terá uma influência igual sobre o desempenho de um animal. Isto é, a forma heterozigótica (ambos os alelos estão presentes) tende a ter a meio caminho entre o desempenho das duas formas homozigóticas. Em alguns casos, um alelo terá o principal ( dominante efeito) sobre um animal, enquanto que o outro alelo só irá ter um efeito na sua forma homozigótica. Estes são chamados dominantes e recessivos genes.

 

O coeficiente de endogamia (como proposto por Sewell Wright em 1922) é a probabilidade de que dois alelos em um locus escolhidos aleatoriamente são idênticos por descendência . Note-se que alelos podem ser idênticas por outras razões, mas o coeficiente de endogamia é apenas olhando para a probabilidade matemática de que os alelos ter vindo de um ancestral comum.

 

Exemplo de como calcular um coeficiente de endogamia para um animal que tem um grande grande pai comum:

Como endogamia aumenta, a frequência de alelos homozigóticos ser num local em particular, também aumenta. Daí endogamia reduz a quantidade de variação numa população.

 

Criação de animais Linha tenta maximizar alelos homozigóticos desejáveis ​​(ou seja, corrigir esses genes desejáveis ​​na população), utilizando seleção e programas de melhoramento planejados - uma espécie de endogamia controlada. No entanto, um aumento nos alelos homozigóticos também pode aumentar alelos homozigóticos com efeitos indesejáveis ​​que podem resultar em desempenho reduzido e / ou a fertilidade ( depressão consanguinidade ); ou mesmo ser fatal (ver recessivos letais).

 

O inverso de endogamia é out-crossing. Algum componente do vigor híbrido observado é o efeito-riscando. Note que os dois animais puras que não estão relacionados si terá progênie totalmente riscado (coeficiente de endogamia de zero). Assim, você pode ir de pura a riscado em uma geração.

 

Depressão por endogamia

 

Endogamia depressão é um termo usado para descrever a redução no desempenho e viabilidade, devido ao aumento dos níveis de endogamia (reduzida variação genética). aptidão reprodutiva tende a ser mais afectados do que as características de desempenho a este respeito. A extensão da depressão por endogamia depende da população a ser medido, o nível de genes já fixo na população, a frequência de quaisquer genes deletérios que possam existir nos efeitos da população e da possibilidade de que determinados genes são afetados.

Não há limite definido quanto ao que é um nível aceitável de endogamia em populações de animais domésticos. No entanto, depressão endogâmica é provável que seja mais uma vez evidentes níveis de endogamia obter a acima de 10%. Como um guia muito áspera, muitas vezes há uma diminuição 2-20% no desempenho do traço por 10% do coeficiente de endogamia.

 

Indesejáveis ​​e letais recessivos

 

Alguns genes recessivos indesejáveis ​​são expressas apenas na sua forma homozigótica. Nestes casos, o alelo dominante, desejável do gene é expresso no animal para ambos o homozigoto dominante e as formas heterozigóticas.

 

O gene artrogripose múltipla (AM) é um exemplo de um gene recessivo que é letal. O alelo indesejável (a) na sua forma homozigótica (aa) faz com que o animal afectado ter uma inclinação e coluna torcida e desenvolvimento muscular limitada, mas com o tecido normal do cérebro aparente. Os animais afetados são geralmente ainda nascido. Por outro lado, os animais com pelo menos uma cópia do alelo dominante (A) são, bezerros não afetados normais (ou seja, o homozigoto AA ou formas Aa heterozigotos do gene). Os animais heterozigóticos (Aa) são chamados transportadores , que têm o potencial de transmitir a forma indesejável (a) do gene sem ser detectado para a próxima geração.

 

Um animal de transportador (Aa) acoplado a um animal homozigoto normal (AA) irá resultar em 50% de chance de o ser homozigoto normal (AA) progênie e 50% de chance de ser um portador heterozigoto (Aa) sem recessiva letal (aa) formas (Tabela 2) .. No entanto, um porta-(Aa) acoplado a outra operadora (Aa) tem 25% de chance de produzir prole homozigoto normal (AA), 50% de chance de produzir transportadora (Aa) prole e 25% de chance de produzindo afetados prole (aa) - que morrem ao nascer

 

FONTE:  http://abri.une.edu.au/online/pages/inbreeding_coefficient_help.htm

 

Please reload

© 2023 by The Animal Clinic. Proudly created with Wix.com

Adamas Dei Kennel

Dobermann Europeu

Whats: (55) (11) 94797-6595

leogregori@gmail.com

Granja Viana - Cotia - São Paulo - Sp  CEP:  06709-150

Tel / Whats App: 55 11 947976595

Email: leogregori@gmail.com

www.adamasdei.com.br

Games of Thrones - ADAMAS DEI KENNEL
00:00 / 00:00
  • Facebook Social Icon
  • Black Instagram Icon
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now